Lc 2.21-38

1)      Dentro da religião judaica (21-24)

  • Jesus foi circuncidado, como judeu que era, e nessa ocasião recebeu seu nome conforme o anjo havia revelado (Jesus = Salvador).
  • O tempo da purificação era de 40 dias no caso de meninos e 80 dias se tivessem menina.
  • Consagraram seu primogênito com a oferta dos mais pobres.
  • Jesus nasceu no judaísmo e cumpriu com seus rituais. Sua mudança não seria estrutural, mas essencial.
  • Jesus era judeu, assim como os apóstolos e os primeiros cristãos. A ignorância desse fato gerou vários problemas na história da igreja e mundial.

2)      Ao homem esperançoso (25-35)

  • Simeão era justo, piedoso, esperançosos da consolação de Israel e o Espírito Santo estava sobre ele. Que grande exemplo!
  • Não sabemos quem era, mas recebeu uma revelação especial de Deus que marcaria tanto sua vida quanto sua morte.
  • Não se tratava de uma revelação para sua auto-promoção, mas de uma revelação que apontava pra Cristo, o autor de sua vida.
  • A revelação de Simeão: 1. A salvação em Jesus; 2. Revelação a todos os povos; 3. Glória de Israel; 4. A importância e complexidade da vida de Jesus e a dor que Maria sofreria com isso; 5. Quebra da hipocrisia.

3)      À mulher evangelista (36-38)

  • Ana também vivia em adoração ao Senhor e reconheceu quem era a criança
  • Não apenas reconheceu como passou a pregar aos que também esperavam.
  • Outros esperavam a redenção de Jerusalém, não se conformavam simplesmente com a manutenção dos rituais. Para eles os eventos relatados por Ana fariam sentido.

Em tudo isso vemos que, mesmo dentro de uma religião que seria seriamente criticada por Jesus, devido à hipocrisia, havia pessoas realmente sinceras e esperançosas a quem Deus quis enviar revelações do que estava acontecendo.

São essas pessoas que Deus procura (Jo 4.23,24), mesmo dentro de instituições que vão se perdendo.

Anúncios