No amor não existe medo; antes, o perfeito amor lança fora o medo. Ora, o medo produz tormento; logo, aquele que teme não é aperfeiçoado no amor. (1 Jo 4.18)

O medo ainda é um dos sentimentos mais comuns e observáveis nas pessoas. Não apenas aqueles medos que nos advertem sobre perigos, para que tomemos cuidados, mas aqueles medos infundados, relativos ao desconhecido e ao que não se pode controlar.

Apesar de todo avanço da ciência, da psicologia e até mesmo das religiões explicando diversos fenômenos, muitos ainda têm medo de quebrar espelhos, passar debaixo de uma escada e fazer alguma coisa que traga azar, ou, como é usado atualmente em meios evangélicos, maldição. Outros tratam o que consideram “espiritual” como algo científico, capaz de ser medido e demonstrado com facilidade, e outros ainda acreditam nisso.

Há ainda aqueles que, por não saber o que temem, temem a si mesmos, sentindo que são incapazes, perseguidos, cobrados; na maioria das vezes, pelo que consideram Deus.

É nesse contexto que religiões, gurus e práticas espiritualistas prendem as pessoas numa gaiola de medo. É nesse contexto também que, infelizmente, vemos um pseudo-cristianismo oprimindo pessoas, tirando o pouco que têm e impedindo o desenvolvimento saudável e liberto dessas pessoas. E, por incrível que pareça, muitos se sentem bem com essa opressão, como se tivesse alguém administrando seus medos em troca de algo melhor.

Mas a palavra de Cristo não faz isso, pelo contrário, ela liberta (Jo 8.32), ela lança fora o medo, como no texto acima. O medo humano está baseado em seu medo de Deus, por causa do pecado (Gn 3.10), mas esse problema já foi resolvido na cruz. Agora o que conhecemos é o amor de Deus. Medo produz tormento, mas o amor aperfeiçoa

Tememos a Deus no sentido de adorá-lo, respeitá-lo e amá-lo, mas não sentimos medo dele como se ele fosse um tirano caprichoso do qual nunca sabemos o que esperar. Vimos na cruz até onde chega seu amor por nós, nela também percebemos o valor que temos diante dele e, pelo seu Espírito que habita em nós, temos paz, já somos seus filhos (Rm 8.15).

De que você tem medo? O que impede sua vida de caminhar livremente? O que tem impedido sua agradável comunhão com Deus?

Receba o amor de Cristo, ame a Deus e ao próximo; e lance fora o medo, você é nova criatura, as coisas antigas já passaram e tudo se fez novo (2 Co 5.17).

Anúncios