Rm 12.1-2

Com base nas misericórdias de Deus.

A grande ênfase da fé reformada e, principalmente, bíblica está na misericórdia do soberano Deus, a qual é manifesta através da sua Graça.

Ela é a base de toda a vida cristã, a qual é um sacrifício vivo a Deus com base no sacrifício que a conquistou.

Somos redimidos pelo Senhor com o propósito de consagrar-lhe a nós mesmos e a todos os nossos membros. (Calvino)

A ênfase do paganismo está na ação humana para conquistar méritos com Deus (ou com alguma divindade), essa tendência tem influenciado até mesmo o cristianismo, infelizmente.

O objetivo disso é que nossa vida seja entregue a Deus, não por medo ou por barganha, mas em resposta ao que Ele fez por nós.

O moralismo sem essa verdade é como um edifício sem alicerce (cf. Calvino).

De modo consciente.

Muitos buscam uma espiritualidade meramente mística e alienante, onde apenas o sentimento é necessário. Vê-se o desenvolvimento mental até como oposição à espiritualidade.

Mas Deus se revelou ao homem de forma inteligível. De modo geral pela natureza e, especialmente, pela sua Palavra escrita.

Deus não nos deixou em suspense, mas declarou sua vontade para nós. Daí a necessidade de estudarmos a Bíblia.

Esse tema era tão importante para os reformadores que os levou a uma grande ênfase educacional em sua sociedade. Todos deveriam aprender a ler e pensar, para que pudessem estar aptos a aprender a bíblia e a praticarem-na na sociedade (exemplos: Calvino, Lutero e Comenius).

cerebroO mundo tem necessidade de homens e mulheres educados, para que os homens possam governar o país acertadamente e para que as mulheres possam criar convenientemente seus filhos, dirigir os seus criados e os negócios domésticos. (Lutero)

Será que ainda entendemos o estudo – bíblico e secular – dessa maneira?

Buscando a vontade de Deus.

Qual o objetivo disso tudo? Pra que Deus usou de misericórdia para conosco? Pra que revelou sua vontade em sua Palavra?

Para que experimentemos sua boa, perfeita e agradável vontade.

Hoje encontramos uma “espiritualidade” onde o objetivo está na satisfação pessoal apenas. Onde se determina qual deve ser a vontade de Deus. Não se busca mais o relacionamento do homem com Deus, mas a utilização de Deus pelo homem por intermédio da religião e dos sacerdotes.

Não é isso que a Bíblia ensina. Ela ensina que existimos para louvar a Deus e gozá-lo para sempre. Pense na diferença que essa mentalidade pode fazer em nosso estilo de vida.

Alguém definiu “sucesso” a seguinte maneira: Sucesso é conhecer a vontade de Deus para sua vida e colocar-se dentro dela.

Por isso, todos somos chamados a oferecermos nossos corpos a Deus, vivos e com a mente renovada, ou reformada.

Anúncios