Cl 3.1-17

1)      Olhar para o alto, onde Cristo vive (1-4).

 

É lá que está o mapa de onde estou andando. Assim como os antigos navegadores se guiavam pelas estrelas, devemos nos guiar por Cristo e seus ensinos.

Não significa deixar de andar com os pés no chão e nem querer se tornar estrela, mas encontrar em Cristo – soberano sobre tudo – a verdade de nossa realidade.

 

2)      Fazer morrer a natureza terrena (5-11).

 

Quando vivemos apenas pelo que é terreno, só podemos esbarrar em nossos pecados e de mundo todo de forma geral: prostituição, impureza, paixão lasciva, paixão maligna e avareza. Bem como ira, indignação, maldade, maledicência, linguagem obscena. Mas olhando para o alto, onde está o mapa, saberemos nos desviar dessas coisas. Elas nem mesmo terão o valor que na verdade têm aqui embaixo.

 

3)      Vestir a camisa de Deus (12).

 

Despimo-nos da velha natureza e vestimos a nova, aquela que Cristo nos dá. Uma nova natureza que é caracterizada pela santidade, amor, misericórdia, bondade, mansidão, longanimidade. Isso acontece conforme realmente andamos pelo caminho que vemos em Cristo. É prático, é de passo em passo e realmente nos leva a novos lugares.

 

4)      Suportar e perdoar meu irmão (13-15).

 

A vida cristã não é solitária e também não está dentro de uma comunhão pacífica inerte. Andamos juntos com outros que estão em fases diferentes, também lutando com a velha natureza. Ora olhando para o alto, ora esbarrando nos velhos pecados. Somente a paz de Cristo – que verdadeiramente está em todo o que o segue – é que poderá resolver nossas questões.

 

5)      Que a palavra de Cristo habite ricamente em nós (16).

 

Esse é o único modo de pôr em prática o que foi dito anteriormente. A palavra de Deus não pode ser apenas uma visita rara em nossa casa, nem mesmo um vizinho que se sente parte da família, mas deve realmente habitar entre nós. Morar conosco, dormir conosco, acordar nos momentos difíceis e conduzir nossas celebrações. Ela é que nos vai ensinar para olhar o alto ler o mapa que lá está. Deve estar conosco o tempo todo.

 

6)      Para fazer tudo isso em nome do Senhor Jesus (17).

 

Não é lei, é estilo de vida. Transformar tudo isso apenas em obrigações e cobranças apenas nos manterá em nossas velhas naturezas olhando para o chão. Será como querer provar a si mesmo e aos outros que decorou o caminho e que não precisa mais olhar para cima. Será um caminho até com aparência piedosa, mas no próprio nome de quem caminho, e não em nome de Jesus.

O verdadeiro caminho é motivo de gratidão a Deus.

CEU ESTRELADO

Anúncios