Lucas 9.18-22 

1)      Um momento de intimidade e reflexão. (18)

  • Depois de toda aquela agitação, Jesus vai para um momento especial, à parte, só com seus discípulos.
  • Era um momento de oração, intimidade, aprofundamento. Coisas necessárias para continuar a caminhada.
  • Ali Jesus aproveita para saber o que os outros estavam pensando sobre ele e o que seus discípulos estavam pensando sobre ele. Pois nada era ainda muito claro.
  • Esse momento é muito importante para todo discípulo de Jesus. Cultive-o você também.

2)      O que os outros dizem de Jesus? (19)

  • Jesus já estava bem “famoso” e muito já estavam fazendo suas cogitações sobre ele. Até mesmo o rei Herodes (conforme v.9).
  • Jesus estava até sendo bem visto no geral, sendo confundido com grandes figuras do passado judaico.
  • Mas ele era muito mais que isso e ainda não tinha se revelado totalmente.
  • O que as pessoas dizem de Jesus hoje?

3)      O que os íntimos dizem de Jesus? (20)

  • As pessoas diziam muitas coisas. Eram até coisas boas, mas elas não andavam com Jesus e ele ainda não havia se manifestado plenamente, ou seja, não sabiam o que diziam.
  • Mas os discípulos estavam com ele já a um bom tempo, estavam vendo suas atitudes e ouvindo seus ensinamentos.
  • Será que eles estariam pensando o mesmo que a multidão sobre Jesus?
  • A resposta de Pedro mostrou uma grande diferença do que os outros pensavam: não era só um profeta, mas o Cristo (Messias) de Deus.
  • Quem é Jesus para nós?

4)      Como se conhece a Jesus verdadeiramente (21-22)

  • Surpreendentemente Jesus os advertiu a não contarem isso a ninguém. Por que será? Eles não deveriam pregar sobre Jesus?
  • Havia muitas concepções equivocadas sobre o Messias, e essas concepções poderiam gerar outros problemas e até desviar o foco.
  • Jesus não veio fazendo propaganda de si mesmo querendo ser o grande líder aceito por todos.
  • Jesus tinha uma missão e sabia o doloroso caminho dessa missão; e era por essa missão que ele deveria ser conhecido.
  • Jesus vivia e pregava o Reino antes de pregar a si mesmo. Sabia que só seria (e deveria ser) reconhecido na cruz (Mc 15.39).
  • Na cruz, deixamos de conhecer Jesus segundo a carne (2 Co 5.16) e o reconhecemos na loucura da pregação (1 Co 1.18).
Anúncios